Vídeo aula Célia Gouvêa

A vídeo aula ministrada por Célia Gouvêa consiste no compartilhamento do trabalho pedagógico desenvolvido ao longo da carreira multidisciplinar da artista, com demonstrações das seguintes técnicas:

–  Técnica Orgânica, elaborada por Célia Gouvêa, baseada no princípio de que o emprego de pouca energia muscular resulta numa maior fluência;

Alongamento e colocação do corpo no chão, síntese própria contendo ensinamentos de Maurice Béjart, Zena Rommet (E.U.A.) e Yoga;

–  Barra (balé) – Concentração na estrutura anatômica do corpo;

–  Barra no centro – sintaxe do balé acrescidos ao trabalho do tronco;

–  Qi Gong, segundo o mestre chinês Cao, já falecido.

A Técnica Orgânica foi processada a partir dos conhecimentos somáticos adquiridos em Nova York no início da década de 90, durante estadia de Célia Gouvêa   enquanto bolsista da John Simon Guggenheim Memorial Foundation, quando seguiu aulas com Susan Klein  fundamentadas em Irmgard Bartenieff, onde conheceu a iniciação do movimento a partir dos ossos e da musculatura profunda que sustenta o esqueleto, tais como o psoas e os cordões isquio-tibiais e praticou a Release Technique nos estúdios do Movement Research. A Técnica Orgânica inclui exercícios que envolvem homolateralidade e contralateralidade, bem como propostas destinadas à ampliação do vocabulário corporal, promovendo experiências sensório-motoras através dos métodos da improvisação e da composição.

A Release Technique revolucionou o modo de treinamento dos dançarinos, aproximando-os de uma postura despojada, pedestre e com um tônus muscular justo. A prática da Release Technique expandiu-se na dança pós moderna dos anos 70, embora já nos anos 30 tenha principiado pelos estudos em educação somática promovidos por Mabel Elsworth Todd, sistematizados por Barbara Clark e Joan Skinner com a denominação de Skinner Release Technique[1]. Alternativa de trabalho corporal nos anos 70, a proposta iniciada na American Contemporary Dance Co. em Seattle (Washington,E.U.A), irradiou-se por todo o mundo 40 anos depois.

Desenvolveu propostas como mover-se na água ou na areia, permitindo que a imagem o mova; elementos psicológicos do crescimento do bebê – a posição fetal, o arrastar-se, o engatinhar, o rolar; o ser humano habitado por fluxos energéticos ao invés da ideia de dualidade entre corpo e mente; o movimento singular de cada um definido pelo inconsciente, importando a percepção e a experiência cinética subjetiva; o aprendizado do movimento segundo as leis físicas e o potencial da anatomia humana sem procurar modificações orientadas por critérios estéticos; o reconhecimento do sistema neurológico como tão importante quanto o sistema músculo-esquelético na execução do movimento; a procura do alinhamento do corpo a partir do centro dos ossos e dos músculos que os envolvem, re-padronizando os fluxos de energia; a imobilidade na simétrica “posição de descanso construtivo”, que alavancam novas experiências cinéticas e estimulam o trabalho da improvisação e da criatividade. A dança é concebida como experiência dinâmica e processual, na qual aspectos inconscientes poderão ocorrer. Escuta e disponibilidade são palavras-chave. Os dançarinos ficarão relaxados e os movimentos se tornarão flexíveis e de execução fácil. Essa direção de trabalho corporal poderá conduzir à consciência cinética ou foco na sensação física, a técnicas de meditação, às artes marciais, bem como a terapias corporais como a de Moshe Feldenkrais, Body Mind Centering, Alexander Technique e outras.

A denominação Release Technique pode parecer incongruente, uma vez que a palavra dança, tanz em alemão, é tensão. Martha Graham erigiu sua técnica de dança moderna servindo-se do par de opostos contração e relaxamento. Após o longo período em que o aprendizado da dança deu-se através de um processo mimético, no qual o praticante apreendia e copiava padrões demonstrados pelo professor e muitas vezes se machucava pelo emprego de um excessivo tônus muscular, a transferência de foco, desta vez na soltura, foi uma decorrência coerente.

 

[1] http://www.contemporary-dance.org